Curiosidades sobre os Bouquets de Noiva

Postado em Categoria: Galeria das Noivas

Vocês sabiam que a cerimônia de casamento nasceu na Roma antiga? Todo esse ritual da noiva se vestir especialmente para a cerimônia, veio de lá e virou uma tradição. Hoje em dia, grandes estilistas se dedicam à arte de transformar o sonho de uma noiva em realidade – um vestido de princesa. Já os primeiros bouquets de noivas incluíam não apenas flores, mas também ( e principalmente ) ervas e temperos. Os mais populares, (com alho, arruda, etc) eram usados para espantar os maus espíritos, afastar o mau olhado e trazer sorte ao casal. As flores tinham, cada uma, seu significado: a hera representava fidelidade; o lírio a pureza; as rosas vermelhas o amor; as Violetas a modéstia; as flores de laranja davam fertilidade e alegria ao casal. Todas tinham o objetivo de atrair felicidade, enquanto que os espinhos espantariam os maus espíritos. Acredita-se que somente as camponesas e moças mais humildes casavam com bouquets de flores. As famílias mais ricas presenteavam as noivas com jóias, como terços feitos de ouro e diamantes, para serem carregados durante a cerimônia. Atualmente, o bouquet ganhou um status de grande importância na cerimônia. Ele irá conferir ares de sofisticação, originalidade e alegria à noiva e ao evento em geral. Portanto, ele deve ser elaborado e confeccionado por um especialista e deve se harmonizar ao estilo e personalidade da noiva. O ato de jogar o buquê significa querer compartilhar a felicidade deste momento tão único e especial. É um desejo de sorte e realizações – quem pegar o bouquet, será a próxima a se casar… Antes deste costume, por volta do século 14, as solteiras disputavam um pedaço do vestido da noiva com este mesmo objetivo! Mas, a noiva muitas vezes quer preservar seu bouquet, como uma doce recordação. Sendo assim, uma pequena réplica do bouquet original pode ser confeccionada para atender à esta necessidade. Outras soluções criativas e alegres têm surgido no decorrer dos anos para marcar esta data e este ato. Jogar um charmoso Sapo Príncipe ( com um beijinho ele se transformará em príncipe? ) ou o tão querido Santo Antônio, o “santo casamenteiro” podem ser consideradas ótimas opções. No fundo, o que importa é que a motivação para o casamento seja algo responsável e que as pessoas envolvidas realmente se comprometam com esta união, favorecendo o respeito, o companheirismo, a lealdade. Com relação ao evento em si, o importante é que, mesmo que sejam mantidas as tradições de um casamento, ele tenha a cara dos noivos. Um evento personalizado ( com ou sem festa ), onde os noivos participem das escolhas, vibrem com as conquistas e estejam atentos aos detalhes é a expressão de um momento único. Compartilhar sensações e alegrias, este é o real objetivo deste acontecimento chamado CASAMENTO.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *